29 de abr de 2011

Retratos

   
    Quem costuma acompanhar meu blog já deve ter percebido que eu muito raramente posto aqui fotos de pessoas. Sim, eu não sou muito adepta de retratos. Não que eu não goste, eu gosto, e honestamente, admiro quem domina essa arte. O meu problema é outro, eu sou uma pessoa basicamente tímida, e a ideía de invadir a intimidade alheia sem o concentimento da pessoa não me agrada. Fotos de moda, por exemplo, eu adoro e não tenho problema nenhum em fazer, porque sei que a/o fotografada/o tem plena consciência do que está acontecendo, e mais, deseja isso, se sente à vontade com isso. Um retrato encomendando, como para um perfil ou reportagem, ok também. Mas a idéia de, através de minhas lentes, retratar alguém sem que a pessoa tenha conhecimento do que está acontecendo me deixa nervosa. Sei que grande parte dos retratos mais icônicos que conhecemos foram feitos assim, num estilo meio paparazzi, um flagrante roubado e na hora certo da vida de certo alguém, como a foto clássica de Robert Doisneau, "Le Baiser de L'Hôtel de Ville". Há retratos posados também, e nesse caso, quando a foto não foi encomendada pela pessoa a ser retratada, há um acordo (verbal ou não) de que o retratado não se importa em ter sua imagem imortalizada por alguém que ele provavelmente não conhece, e que será divulgada em meios que às vezes ele não irá sequer tomar conhecimento. Um exemplo desses casos são as fotos estilo capa da National Geographic. 
     Por isso que raramente eu faço retratos. Mas eu tenho alguns, que vou mostrar agora, uns inéditos, outros podem já ter sido vistos no meu site. Pra mim, e admito minha fraqueza, retratos ainda são um tema difícil de (re)tratar. Gostaria de saber a opinião de vocês sobre isso, e quem sabe, umas dicas sobre como tornar esse tema mais fácil para mim! 









23 de abr de 2011

Sensacionais fotos em movimento!

      Que cinema e fotografia sempre foram ligados intimamente é algo bastante sabido. Afinal, os filmes são como fotografias em movimento, uma evolução do ato de retratar o tempo, de imortalizar imagens através de um objeto - uma câmera. Recentemente descobrí o trabalho da fotógrafa novaiorquina Jamie Beck. Utilizando a tecnologia dos GIFs animados, comum em programas como o MSN (aquelas imagens pequenas, como emoticons, mas que parecem se mover, numa sobreposição de imagens em sequência), ela criou fotos em movimento. A idéia parece simples, mas Jamie inova pela alta qualidade estética de suas imagens, criando um híbrido entre uma cena de cinema e uma foto. E o legal é que, diferente de um filmezinho, nas imagens de Jamie normalmente somente um dos elementos de movimenta, deixando o resto da imagem estática. Ela os chama de “cinemagraphs”.
     Jamie também trabalha com fotos normais, com fotografia de moda, e seu trabalho por sí só já seria notável, de muito bom gosto e com refinado senso estético, fotos suaves, femininas. Agora com sua grande inovação dessas imagens em movimento, com certeza será alguém que vale a pena acompanhar! 
     Esse post tem muitas fotos porque achei simplesmente sensacional o trabalho dela, mas no site da fotógrafa ainda tem muito mais. Quem quiser, o endereço é esse: http://fromme-toyou.tumblr.com/

     Eu não sei porque aqui no blog as fotos aparecem estáticas nessa página, não sei se é algum problema do provedor, mas é só clicar em cima da imagem que ela vai aparecer animada e vocês conseguirão ver o efeito





























17 de abr de 2011

Mallorca - o outro lado

   Quando se pensa em Mallorca, uma ilha espanhola, irmã maior de Menorca, normalmente se pensa em praias paradisíacas de água azul turquesa e transparente. Sim, Mallorca tem isso, quilômetros e quilômetros disso, várias pequenas Callas (pequenas baías), uma mais linda que a outra. Mas há também um outro lado dessa ilha encantadora, um lado que não é tão mostrado nas pesquisas de imagem do Google e revistas de turismo, o lado do interior da ilha, de campos e plantações, de montanhas e vales, e pequenos vilarejos em tons de amarelo e terracota, com balcões de ferro e flores nas janelas. Tive o prazer de explorar um pouquinho esse lado, viajando num antigo trem de madeira, por estradinhas de ferro e túneis de pedra, e digo: Mallorca é ainda mais do que mar e praias, é charmosa e encantadora, é vaidosa e simples ao mesmo tempo. Vou mostrar aqui algumas fotos que tirei quando estive lá, desses campos e também de pequenas vilas à beira-mar, com seus muitos barquinhos e restaurantes com mesinhas nas ruas, onde ainda se pode sentir o clima do lugar, onde não há milhares de turistas, onde o tempo passa mais devagar e o sol brilha mais bonito.
    Disfrutem.













6 de abr de 2011

Guia de compra de fotografia

   Aproveitando um assunto que (já era hora) está bastante em voga ultimamente, a discussão acerca da comercialização de fotografias como arte, tema de uma mesa-redonda hoje no FestFotoPoa, que foi também transmitido ao vivo online - ótima iniciativa, parabéns aos organizadores-, achei na internet um guia bem legal sobre como comprar fotografias, que critérios ter, no que prestar atenção na hora de investir em uma foto. É como se fosse um quadro, mas em fotografia há algumas outras regrinhas que se aplicam e que visam manter o padrão de qualidade das impressões e valorizar o produto do artista/fotógrafo, até mesmo contra a pirataria, contra cópias não permitidas, o que com o advento da internet e divulgação virtual pode e acontece muito. 
  Esse texto está em espanhol, e desculpem, fiquei com preguiça de traduzir, mas ele é bem simples e acho que mesmo quem não habla castellaño vai entender, porque no fim são dois idiomas parecidos e lendo sempre fica mais facil entender. Qualquer dúvida podem me perguntar pelos comentários ou por um mail que eu explico, terei o mais prazer.
  Nas minhas fotos que estão à venda na exposição (vendí mais 3 essa semana!) estou utilizando esses critérios, séries limitadas, numeradas, com assinatura e certificado de autenticidade da obra. 

 Depois posto aqui também sobre a mesa-redonda de hoje no FestFotoPoa, "Economia da Cultura - Os caminhos da fotografia como produto cultural", foi bastante interessante, principalmente a parte da Fernanda Feitosa, vale a pena dividir com vocês um pouco mais sobre isso, então aguardem! 


Cómo comprar Fotografía 

La Fotografía está emergiendo como uno de los soportes más interesantes para el Arte, tanto para los compradores como para los coleccionistas. En recientes subastas se han alcanzado cifras astronómicas en el precio de ciertos maestros fotógrafos. Mientras la Fotografía en blanco y negro, tanto en su acepción tradicional como en su uso contemporáneo continúa siendo muy popular, muchos artistas y coleccionistas se están abriendo también a las posibilidades que brinda la Fotografía en color.
He aquí algunas cosas que debes considerar cuando compras una fotografía online:
Explora: Tómate tu tiempo buscando la fotografía adecuada. Si sabes exactamente qué estas buscando, puedes buscar por artista, estilo, tamaño, precio, etc, para obtener una selección ajustada a tus necesidades. Si no estás muy seguro de lo que quieres, puedes comenzar buscando por técnica, tema o selecciones pensadas específicamente para determinadas habitaciones. Cuando encuentres algo que te guste, intenta buscar piezas similares del mismo artista, hasta que des con la fotografía que te satisfaga totalmente.
Una buena galería debería contar con consultores de arte experimentados que puedan ayudarte en tu búsqueda.
Presupuesto: Decide cuánto dinero te gustaría gastarte. Una fotografía de tamaño medio de ciertos artistas emergentes puede llegar a costar menos de 500€. Por supuesto, cuanto mayor es la reputación del artista, mayor es  también el precio de la obra. Las fotografías de maestros pueden alcanzar las cinco cifras, aunque puedes encontrarlas por mucho menos.  
Descubre: Antes de comprar una fotografía, aprende más acerca del estilo (conceptual, figurativo, abstracto...) y de la técnica (gelatina de plata, impresión digital, etc.)
La mayoría de las Fotografías son ediciones limitadas, firmadas y numeradas por el artista. Comúnmente, una fotografía de una edición más reducida es más cara que otra de una edición mayor, aún siendo del mismo artista. Esto se debe a que cuantos menos ejemplares de una edición existen, más valiosos son los que hay. Una fotografía de edición abierta (número ilimitado de ejemplares) suele tener un valor más bajo y muchas veces encontrarás que los ejemplares no están numerados, aunque sí deberían estar firmados y acompañados de un certificado de autenticidad que confirme su autoría.
Ya sea el artista emergente o establecido, puedes hacerte una idea de su carrera mirando su lista de exposiciones. Debes fijarte en si ha participado en importantes exposiciones colectivas, si tiene exposiciones individuales, si su obra está en grandes museos o colecciones privadas, o si ha obtenido premios.
No dudes en preguntar. Los mismos consultores de arte que pueden ayudarte con tu selección, estarán encantados de darte toda la información que les sea posible acerca del artista y su obra.
Experimenta: Comparte la obra. Si has visto la obra online, envíale un link a algún amigo o compañero, o simplemente envía una postal electrónica con la obra. Si por el contrario has visto la obra en una galería, ve a verla de nuevo con un amigo. Pídele su opinion a alguien en quien confíes.
Asegúrate: Comprueba que la obra de arte vaya acompañada de un certificado de autenticidad. Ten en cuenta que muchas fotografías están firmadas y numeradas en la parte frontal, otras en la parte posterior y otras no lo están. En el ultimo caso, es especialmente importante que tengan certificado de autenticidad.
Una vez que estés seguro de haber encontrado la fotografía adecuada, asegúrate de estar comprando en una galería de confianza. Lee acerca de la empresa y su website. Los websites de confianza ofrecen información detallada de si mismas. Observa si el website te ofrece una compra online segura. Lee lo que los clientes y la prensa han dicho de ellos. Asegúrate de que la galería tenga una política de devolución razonable. Cuando hayas llevado a cabo tu investigación con resultado satisfactorio, compra tu fotografía, y disfrútala.

3 de abr de 2011

1 de abr de 2011

Agenda da semana!!!

     Abril começa bombando, Porto Alegre está fervendo, não mais pelo calor insuportável, graças a Deus, mas sim com atividades culturais muito legais! Só aquele parentêsis, porque parece que nunca tem nada para fazer e aí quando surgem coisas, surge tudo junto, se atropelando? Vou ter que criar clones meus essa semana pra dar conta de tudo!!! Mas tudo bem, melhor assim, vamos ao que interessa:

 FESTFOTOPOA

 A 5º edição do Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre inaugura nesta quarta, 6 de abril, e vai até 1º de maio. Serão diversos workshops, seminários, mesas-redondas, leituras de portfolios e mostras com convidados de vários lugares.  A maioria das atividades é grátis, tirando alguns workshops. Só é bom chegar cedo para garantir lugar. 
 Quero participar dos seminários "Economia da Cultura", que tratam sobre "Os caminhos da fotografia como produto cultural" (dia 06, quarta, a partir das 14h) e  "Políticas públicas para a cultura e os caminhos da fotografia como produto cultural" (dia 07, quinta, a partir das 16h). Serão duas sessões de mesa-redonda com discussões sobre o mercado da fotografia hoje em dia, assunto sobre o qual eu sempre comento. Mas acho que vou acabar passando o dia todo lá, quem quiser dá uma olhada no site, na programação, e vê o tanto de atividades que vão estar acontecendo!

 Site do Festival: www.festfotopoa.com.br




 PAPO VIAJANTE - BRASAS CHAT: VENEZA E SEU CARNAVAL, com Victoria Farjat Fichtner

 Aiiii, agora uma auto-propaganda, mas faz parte, então faz de conta que não estou divulgando a mim mesma! Dia 05 de abril, terça-feira, no Espaço STB Brasas, estarei falando sobre a minha viagem à Veneza, sobre a cidade, sobre as origens e costumes do Carnaval de Veneza e de onde surgiu a idéia da mostra. Claro que não ficarei só falando (até porque - momento confissão - eu odeio falar em público!), então estou preparando uma apresentação de fotos bem legais, e como percebí que no dia da inauguração da mostra muita gente veio me perguntar sobre como era o Carnaval de Veneza, como funcionava, essa é a chance de esclarecerem todas suas dúvidas!!!! Óhhh! 

 Brincadeiras à parte, vai ser bem interessante. 


 Quando mesmo? dia 05 de abril, terça-feira, às 19:30h. 
 Ah! E donde? No mesmo lugar da exposição! STB Brasas, Anita Garibaldi, 1515. 
 Que mais? A atividade é gratuíta mas com vagas limitadas, confirmar presença pelo fone 51 4001.3010 ou pelo mail bv@stb.com.br